Notícias   



Nível dos reservatórios da bacia do Rio Paraíba do Sul é pior dos últimos três anos

Aumentar o texto: A- | A+
Somando os cinco reservatórios, o nível médio de ocupação é de 47,18%. Levantamento é do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

O nível dos reservatórios da bacia do Rio Paraíba do Sul está preocupando. De acordo com levantamento do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é pior dos últimos três anos.

Somando os cinco reservatórios, o nível médio de ocupação é de 47,18%. O Funil, em Itatiaia, está com 44,16% da capacidade. No mesmo período de 2017, o nível total era de 61,82% e o Funil operava com 29,73% da capacidade. Já em 2016, a ocupação total das barragens era de 52,6%, sendo que o Funil estava com 99,6% de capacidade.

Além dos reservatórios, existem outros dois fatores que influenciam diretamente nos níveis abaixo da média do Rio Paraíba do Sul: o baixo índice de chuva no inverno e a transposição de água para o sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento da região metropolitana de São Paulo (SP).

"Com essa nova retirada de água, a gente está novamente sangrando o rio, tirando um volume grande: são hoje cerca de 8 mil litros por segundos para abastecer a região metropolitana de São Paulo", informou o presidente comitê Médio Paraíba, José Arimathea Oliveira.

É uma reação em cadeia: faltando água no sul do estado, falta também em outras cidades. De acordo com o presidente do Comitê do Médio Paraíba do Sul, aproximadamente 12 milhões de pessoas podem ser prejudicadas com a seca, inclusive a capital do estado.

"Como o rio está muito baixo e tá baixando cada vez mais, tá diminuindo cada vez mais a quantidade de água que chega no mar, a água marinha está invadindo o rio Paraíba do Sul, e com isso está matando os peixes que eram de água doce, está mudando o ecossistema local, e as cidades que bebiam essa água doce, estão captando água salgada no seu sistema de abastecimento, comprometendo todo sistema de abastecimento da cidade. A gente tem aí uma preocupação de vivermos em 2018 uma realidade pior do que vivemos em 2014, que tivemos que fazer grandes investimentos para garantir, por exemplo, o abastecimento de água na região do Médio Paraíba" completou o presidente.


Enquanto a chuva não vem, o melhor é economizar água. O morador Mário Soares Machado deu dicas para evitar o consumo desnecessário. "Tomar o banho o mais rápido possível, economizar na hora da higiene pessoal, escovação, não ficar gastando água, lavando o quintal com água", explicou.

O arquiteto Lincon Botelho da Cunha também acredita que existem possibilidades para o consumo consciente. "Trabalhar com o reuso da água, reuso da água de chuva sobretudo. Já existe condições de se fazer isso de forma adequada", complementou o morador.

Leia mais em: https://g1.globo.com/rj/sul-do-rio-costa-verde/noticia/nivel-dos-reservatorios-da-bacia-do-rio-paraiba-do-sul-e-pior-dos-ultimos-tres-anos.ghtml

 » Galeria de Fotos
 


Fonte: www.g1.globo.com  

 » Notícias Relacionadas

  21-09-2018 Estado realiza perfuração de poços em diversas regiões.
  21-09-2018 Militares brasileiros fazem perfuração de poços de água na Guiana.
  21-09-2018 Abastecimento de água em cidades de AL na seca deve custar R$ 2,3 milhões por mês.
  21-09-2018 Compesa paralisa abastecimento de água em Caruaru, Agrestina e Cachoeirinha.
  18-09-2018 Após um mês sem água, MPF pede que aldeias recebam água em caminhões-pipa.
  18-09-2018 Um ano após crise hídrica, Viçosa e Ubá não têm previsão de racionamento de água em 2018.

 

Parceiros


Publicidade